top icon yt
top icon face
 “Recebei-o, pois, no Senhor, com toda a alegria, e honrai sempre a homens como esse”. 
Filipenses 2.29 

 

A ICE de São José dos Campos foi liderada por diversos pastores ao longo dos cem anos de sua existência. Neste capítulo será listado cada pastor, bem como a data de seu pastoreio e sua breve história.

Apesar de a membresia da igreja votar para escolher o pastor, acreditamos que Deus o envia, levanta e indica seu servo, mostrando-nos por meio das orações e ações quem é o escolhido.

 

bryceranken

Bryce William Ranken (1915 – 1916)

Fundou a Igreja Cristã Evangélica de São José dos Campos em 1915.

Ranken nasceu por volta de 1869, em Liverpool, Inglaterra. Era filho do comerciante escocês Henry Pollenfen Ranken e de Harriet Ranken. Foi batizado em 17 de abril de 1873, segundo registro da Igreja de St John the Evangelist, no Distrito de Knotty Ash, Liverpool. Ranken tinha uma irmã mais velha chamada Florence, que se casou com o Rev. William Bret Sallans, cujo primeiro filho chamava Bryce John Sallans, em homenagem ao “tio Bryce Ranken”.

Foi secretário da Associação Cristã de Moços (ACM), mas a sua atuação mais marcante foi como secretário da South America Evangelical Mission, missão organizada pelos missionários Reginaldo Young e Frederico C. Glass, fundadores da ICEB. Começou na Argentina em 1904, e posteriormente, em 1905, no Brasil ele assume todo o comando dos trabalhos e reestrutura a missão.

A administração de Ranken impulsionou e ampliou seu raio de ação. Esteve com Glass, em Goiás, consolidando o trabalho de Catalão aberto por este em 1902 e participou também da abertura do novo trabalho na cidade de Santa Cruz. Ranken consolidou o trabalho em São Paulo, e prestou assistência ao nascente trabalho em Jacareí - São Paulo, fundado pela missionária Annie Andrews em 1907. 

A esposa de Ranken, Elizabeth Ranken recebeu a alcunha de “a santa mulher”, devido às suas qualidades cristãs de consagração e dedicação. Faleceu apenas um ano após o início dos trabalhos na Igreja de São José dos Campos, mas a sua grata memória é mantida até hoje com uma placa em sua homenagem, localizada no templo, ao lado do púlpito.

Ranken continuou os seus valorosos esforços em todo o trabalho, tanto em São Paulo como em Goiás. Ele pastoreou também a Igreja em Catalão, Goiás. Finalmente, regressou à Inglaterra, em 1925, já com a saúde fragilizada pelos mais de 20 anos de trabalho missionário intenso e incansável no Brasil. Lá ele pastoreou uma Igreja anglicana na cidade de Teddington, perto de Londres.

 

Arthur Lino Tavares (1916 – 1920)

Estudou no Instituto Bíblico em São Paulo, fundado por Reginaldo Young, pioneiro da ICEB. Pastoreou pequenos grupos de crentes em Goiás. Em 1918, substituiu a missionária Anne Andrews no trabalho da ICE de Jacareí. Anne havia chegado em 1906 e depois se transferiu para Jacareí, onde, em 14 de julho de 1907, fundou a centenária Igreja Cristã Evangélica de Jacareí, a segunda igreja da denominação no Estado de São Paulo. Em 1916 assumiu o pastorado da ICE de São José dos Campos, recém-organizada, e desenvolveu seu ministério durante 4 anos.

 

conrado

Conrado Manoel de Lima

No pastorado do Rev. Conrado Lima a Igreja contava com a presença de 80 pessoas, sendo eleito Belarmino Nunes Siqueira o primeiro diácono da Igreja, em 05 de setembro de 1920. Dois anos depois, a 31 de dezembro de 1922, são eleitos dois presbíteros: Antonio da Costa Rozendo e Belarmino Nunes.

 

acacio

Acácio Gedeão Coutinho (1919-1928)

No tempo de sua liderança espiritual, a ICE de São José dos Campos organizou uma EBD em Eugênio de Melo, na casa do Sr. Nestor José da Cunha. Dirigia o trabalho, o então Pb. José Pereira da Costa. Lá se converteu D. Escolástica e, a partir de então, os trabalhos foram transferidos para a casa dela. A ICE de São José dos Campos realizou trabalhos regulares no Sanatório Vila Samaritana, no Sanatório Ezra, no Sanatório Adhemar de Barros, na Pensão Menotti e na Cadeia Pública, que funcionava na Rua Coronel José Monteiro, onde hoje está situado o Banco Bradesco.

 

marcos arantes brandao

Marcos Fernandes Arantes Brandão (1928 – 1935)

No final do seu mandato foi criado o Éden-Lar das Crianças, na época um orfanato onde o Pr. Marcos foi o primeiro presidente desta instituição.

 

silas gedeao coutinho

Silas Gedeão Coutinho (1935-1938 e 1942-1943)

Congregações ativas na década: Caçapava, Jaguari, Sobrado, Éden-Lar, Buquira e Eugênio de Melo.

 

benjamin

Benjamim Siqueira Lobo (1938-1941)

Membro da ICE SJC foi enviado para fazer o seminário. Se tornou Pastor e assim, além da igreja ICE SJC, pastoreou ICE Jacareí em 1936. 

 

Cândido Borges (1941-1942)

Deu assistência espiritual à ICE Mata de São Manoel, em Sanclerlândia, GO, até 09 de agosto de 1951 (data em que a Igreja foi emancipada). 

 

José Estevam de Oliveira Lemes (1942 - 1943)

 

deocleciano

Deocleciano F. Cavalcanti (1943-1945 e 1952-1957)

Nasceu em 15 de janeiro de 1909, em um sitio na pequena cidade de Simplício Mendes do Piauí, em família católica. Como a cidade era pequena e não tinha boas condições de estudos e trabalho, aos 18 anos mudou-se para a cidade de Petrolina, PE.

Era católico praticante e perseguidor dos trabalhos da Igreja Evangélica. Aos 22 anos teve o primeiro contato com a Bíblia e converteu-se ao evangelho pelas mãos do missionário da UESA, Thomas Duncan, que dirigia as Igrejas dos municípios vizinhos de Petrolina, PE e Juazeiro, BA.

Ao perceber o potencial de Deocleciano, Duncan encaminhou-o para o Seminário Congregacional de Recife e, em 1936, ele formou-se na turma com o pastor Josué Alves Oliveira. No último ano de estudo, auxiliava a Igreja Congregacional de Vitória de Santo Antão, PE, a 100 km de Recife, onde conheceu Stella Batista, sua futura esposa.

A primeira Igreja na qual ministrou foi em Juazeiro, BA, substituindo o missionário Duncan, pois ele havia retornado para a Inglaterra. Em Juazeiro, em 1937, nasceu seu único filho Ebenézer Batista Cavalcante.

Depois foi para Januária, MG, para substituir o missionário Thompson. Era um campo difícil, devido à dificuldade de locomoção entre a Igreja e as congregações de Fabião, Itacarambi e Ibiracatu, feita em "vapores" pelo Rio São Francisco ou no lombo de cavalos; e também pela presença de doenças como malária e febre amarela; além das perseguições religiosas na sede e na congregação de Ibiracatu (Gameleira), onde o templo chegou a ser invadido durante o culto. Bíblias foram queimadas e Deocleciano passava de perseguidor a perseguido.

Pastoreou as igrejas de São José dos Campos, por duas vezes, além de outras como: Jacareí, Santos, São Vicente, Camilópolis, Mandaqui, Moinho Velho e Utinga.

 Em São Jose dos Campos havia o sanatório Vila Samaritana da Associação Evangélica Beneficente para o tratamento da tuberculose, doença de difícil cura antes da descoberta da penicilina e dos antibióticos. O reverendo Cavalcanti participava de trabalhos sociais, dando assistência pastoral aos internados. Quando o telefone tocava nas frias madrugadas, chamando o pastor, lá ia ele, em sua bicicletinha, pois nunca teve carro, atender ao chamado.

Durante seus 50 anos de ministério batizou mais de 1000 pessoas. Na Igreja de Moinho Velho, onde pastoreou por 16 anos, foram batizadas 227 pessoas. Construiu vários templos, como em Januária e a Congregação de Fabião, MG; em São José dos Campos, congregações (hoje Igrejas) de Monte Castelo, Maringá, praça Brasil - Moinho Velho (templo anterior ao atual), Camilópolis, Utinga, São Vicente e o atual templo de Santos que substituiu o templo da Rua Braz Cubas, que caiu em 1967 com a explosão do gasoduto.

Algumas de suas ovelhas se tornaram pastores, como João Arantes Costa, Salviano, Paulo Oliveira Franco, Henrique de Oliveira Simões, Paulo dos Santos, Joaquim Gomes Filho, Ademário, Américo de Castro, Daniel Belmont e Juracy Ribeiro. Alguns foram, inclusive, batizados por ele.

Foi ainda presidente da Junta Regional Sul, por diversas vezes; diretor da Sociedade Bíblica do Brasil, em três gestões; fundador e professor do Instituto Bíblico do Brasil na Igreja Cristã Paulistana; e líder ativo da UIECCB. Especializou-se em evangelização de crianças, junto com a APEC, dando aulas de ensino religioso em escolas públicas no Moinho Velho SP. Além disso, mantinha o hábito de ler, escrever e recitar poemas.

Faleceu aos 93 anos, em 04 de junho de 2002, dois meses após sua esposa, D. Stela. Era, sem dúvida, um vocacionado para a obra do Senhor. Duas referências bíblicas utilizadas com frequência pelo pastor Cavalcante podem ser lidas em "sermão de prova", na ordenação ao ministério, e no programa do culto de ação de graças pelos 50 anos de ministério, na ICE de Camilópolis. O primeiro tinha como título “Dois cuidados valiosos” e baseava-se em I Timóteo 4.16: “Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Continua nestes deveres, porque fazendo assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos que te ouvem”. Já o segundo, refere-se à I Timóteo 1.12: “Sou grato para com aquele que me fortaleceu, a Cristo Jesus nosso Senhor, que me considerou fiel, designando-me para o ministério”.

 

elielsozinho

Eliel de Almeida Martins (1945 –1951)

A vivência de grandes desafios pelo reverendo Eliel de Almeida Martins aliada à sua memória contribuiu para que se tornasse não só escritor, como também historiador.

Nascido em 6 de dezembro de 1902, na cidade de Jaú, SP, foi apresentado a Deus com oito dias, pelo reverendo Herculano de Gouveia, pastor da Igreja Presbiteriana de Jaú. Nasceu e foi educado em lar evangélico. Aprendeu a ler muito cedo. O presidente do Clube dos Fazendeiros o convidou para ser zelador do clube, onde havia uma biblioteca, que logo o atraiu. Cerca de dois anos depois, já havia lido mais de cem livros, incluindo obras de Leon Tolstoi, Cervantes e Shakespeare. 

Ele casou-se com D. Jovina Lemos Ferreira Martins, em 8 setembro de 1928 (falecida em 10 de março de 1935); em segundas núpcias, casou-se com D. Clara Inácia Lima Martins, em 16 de julho de 1935 (falecida em 21 de janeiro de 1961) e, em terceiras núpcias, com D. Ruth Braga Martins, em 19 de agosto de 1961. Dessas uniões nasceram 11 filhos. 

Desde a época de seminarista já pregava em igrejas e em casas de cristãos. De 1926 a 1928 foi encarregado de trabalhos em várias igrejas e abriu pontos de pregação.

Em 02 de setembro de 1945 tomou posse do pastorado da ICE de São José dos Campos, na qual pastoreou até 06 de junho de 1951, embora já estivesse eleito e empossado na Igreja Cristã Paulistana desde janeiro de 1951. Durante seu pastorado na ICE exerceu a capelania do Sanatório Vila Samaritana e inaugurou o trabalho na Rádio Clube ZYE-5, realizando-o durante muitos anos. 

Posteriormente, pastoreou a Igreja Cristã Paulistana e a Igreja Cristã Evangélica de Jacareí, concomitantemente. Nessa cidade, comprou uma casa e construiu o atual templo e a casa pastoral. Foi depois para a Igreja Evangélica Congregacional de Ribeirão Preto e, posteriormente, para a Igreja Cristã Evangélica de Santa Izabel. Completou 50 anos de ministério à frente da Igreja Cristã Evangélica do Monte Castelo, em 14 de janeiro de 1979.

Ele publicou vários materiais evangelísticos e livros, sendo um deles o Catecúmenos, para instruir pessoas antes de serem batizadas. O material era usado não só na ICEB, como em outras denominações. 

O reverendo Eliel foi um homem que lutou muito, mas foi vitorioso, um verdadeiro herói da fé, falecendo aos 82 anos de idade, no dia 16 de outubro de 1984. 

O culto fúnebre foi realizado na ICE e o reverendo João Arantes Costa escreveu no boletim da Igreja (em 21 de outubro de 1984) sobre o reverendo Eliel de Almeida Martins e sobre reverendo José Emídio Sobrinho a pastoral “Tombam os Heróis”. Lá se encontram registradas as últimas palavras de Eliel antes de sua ida para o céu: “Quando neste mundo tudo acabar, e aqui nada mais restar, lá no céu encontrarei em plena luz, aquele que eu tanto amei: MEU SALVADOR JESUS”.

 

Antônio Cardoso Filho (1951 – 1952)

jesse

Jessé Pereira e Alcântara (1957 – 1962)

Casado com D. Rute Alcântara, Pastoreou a Igreja Cristã Evangélica Central de Goiânia. Faleceu em 20/08/2013.

 

helijcarvalho

Hely Jorge de Carvalho (1962-1966) 

Nordestino, natural de João Pessoa, PA, Hely Jorge era um evangelista nato e, sendo assim, aproveitava qualquer oportunidade para falar de Cristo. Quando andava de trem, por exemplo, aproveitava o trajeto para evangelizar os passageiros. Em São José dos Campos, suas duas grandes alegrias foram pregar constantemente ao ar livre e na cadeia pública. Ele também trabalhou como professor de inglês e cursou o Seminário Presbiteriano do norte, mas sem o concluir.

Em seu pastorado houve uma campanha intitulada “Cristo é a resposta” (de setembro de 1963 a março de 1964), que uniu as seis Igrejas tradicionais na cidade, as duas Igrejas Cristãs Evangélicas (Central e Santana), a Igreja Batista da Praça Kennedy, a Igreja Batista Regular (Sião), a Igreja Presbiteriana Central e a Igreja Metodista. Durante quase seis meses, vários grupos de oração se reuniam a cada noite nos lares dos crentes das diversas igrejas. 

Da ICE, além do reverendo Hely, vários irmãos tiveram funções importantes. O presbítero Antônio Arantes Costa foi tesoureiro, o presbítero Samuel Mendes era responsável pelos assuntos relacionados à imprensa; e o José Carlos Rodrigues Costa dava apoio ao Pastor John Barnett, recém-chegado da Escócia, que coordenava a campanha lançada na cidade de São José dos Campos chamada de “Evangelismo em Profundidade”, atividades evangelísticas, por meio da visitação de casa em casa, envolvendo também outras igrejas O Coordenador geral era o pastor John Barnett.

Deve-se ao pastorado do reverendo Hely ainda, a autonomia da ICE do Jardim Maringá. Exerceu também, o pastorado da Batista de Recife, Pernambuco, das Igrejas: Congregacional do Parque Cruzeiro do Sul e Cristã Evangélica da Vila das Mercês, ambas em São Paulo capital. Faleceu nessa mesma cidade, em 1992. 

 

tn1

Mauro Ramalho (1967-1970)

Nascido em 03 de julho de 1931 e casado com D. Terezinha C. Ramalho, Mauro Ramalho era licenciado em Filosofia, além de bacharel pelo Seminário Teológico Congregacional do Rio de Janeiro. Passou por várias igrejas congregacionais no Rio de Janeiro, além da Igreja Fluminense. Ocupou vários cargos de liderança do ensino teológico e foi pastor da Igreja Presbiteriana na Baixada Fluminense. Faleceu em 02 de agosto de 2014 aos 89 anos.

 

dimitrius

Dimitrius Prodromos Constantinidis (1970 – 1977)

Casado com D. Maria Madalena (in memoriam) é irmão do também pastor, Vassílios Constantinidis. Atualmente reside na Estância Palavra da Vida e não goza de boa saúde.

 

joao

João Arantes Costa (1977 – 2013)

Nasceu em Monteiro Lobato – na época distrito do município de São José dos Campos– em 05 de outubro de 1931, filho de João Pereira da Costa e Maximiana Arantes Costa.   Passou sua infância alternando entra a fazenda do pai e a cidade e numa família de 12 irmãos, é o 9° na descendência.  Dona Maximiana dizia: “este é o filho, nosso dízimo, dedicado para o trabalho de tempo integral ao Senhor”.

Foi apresentado ao Senhor pelo reverendo Acácio Gedeão Coutinho, ou seja, desde o nascimento foi criado nos caminhos do Senhor. Aceitou Jesus aos 13 anos e aos 16 anos foi batizado pelo reverendo Eliel de Almeida Martins, no Rio Buquira, onde posteriormente oficiou muitos batismos. 

Durante a mocidade, era jovem ativo, pertencente à Liga Juvenil, na qual ocupou vários cargos de diretoria; também participava de peças teatrais de natal dirigidas pelo presbítero José Pereira da Costa. Fez parte ainda do Departamento Ranken, no qual também ocupou cargos na diretoria.

Foi superintendente da Escola Dominical na Congregação de Santana, juntamente com o Presbítero Agenor Pereira Costa; e fez o Científico (o que hoje se denomina terceiro grau – pré-universitário) juntamente com o Seminário de Teologia, no Rio de Janeiro. 

Chamado por Deus para o ministério, confirmando os desejos da sua mãe, foi enviado pela família para o Instituto Bíblico da Pedra de Guaratiba, no Rio de Janeiro, em 1952, onde fez o Curso Teológico, formando-se em 1956. Neste período, encontrou sua companheira D. Nilza, também estudante, com quem casou-se em 15 de dezembro de 1956. Este casal tem sido um exemplo de vida em todo seu ministério. Sua esposa, além de companheira, tem o dom especial para trabalho com crianças.

No ministério, após seu curso teológico, foi chamado para trabalhar na APEC como obreiro, na cidade de São Paulo, onde serviu ao Senhor por um ano. Foi o primeiro casal de missionários brasileiros da APEC. 

Foi ordenado pastor em 1957, pelo reverendo Leonel Leite e, sentindo sua vocação para o ministério pastoral e não somente com crianças, aceitou o chamado para a Igreja Congregacional de Siqueira Campos no Paraná. Este foi o início do seu ministério como pastor líder de uma Igreja, ocorrido no ano de 1958, onde permaneceu por 4 anos. Ele teve o prazer de ter como primeiro casamento oficiado, o de sua própria irmã (Eliza e Benjamin). 

Em seguida, transferiu-se para a Igreja de Chora Menino, em São Paulo. Antes mesmo de completar 1 ano no pastorado, assumiu também a Igreja Cristã Paulistana, ficando posteriormente apenas como pastor na Igreja Cristã Paulistana. Nesse período, deu valiosa contribuição nas atividades denominacionais na UIECCB (União das Igrejas Evangélicas Cristãs e Congregacionais do Brasil).

Em 1965, assumiu o pastorado da Igreja Evangélica Fluminense, no Rio de Janeiro. Participou como presidente da Comissão de Revisão e Impressão de Salmos e Hinos com Músicas Sacras em sua 5ª edição. Sempre foi um pastor bastante ativo, frequentando eventos do meio cristão: lecionou no Seminário da Pedra de Guaratiba, participou do Congresso de Lausanne, na Suíça, visitou os campos missionários da Igreja Fluminense em Portugal e na África Portuguesa, onde reagrupou as Igrejas Congregacionais, e realizou trabalhos evangelísticos na Colômbia. Na Igreja Evangélica Fluminense, recebeu o honroso título de Pastor Honorário.

À frente do pastoreio e da presidência da ICE São José dos Campos, grandes obras foram realizadas tanto na sede, como nos diversos locais onde a Palavra de Deus é anunciada. Houve um crescimento marcante do Evangelho e várias igrejas foram organizadas: Atibaia, Bragança Paulista, Galo Branco, Guararema, Guaratinguetá, Pindamonhangaba, Tupã, Quatá, além de pontos de pregação. O rol de membros na sede teve um aumento de 100%, passando de 300 para aproximadamente 600 membros. 

Oficiou mais de 200 casamentos, mais de 800 apresentações de crianças ao Senhor, e aproximadamente 1300 batismos. Realizou a autonomia de algumas Congregações tornando-as Igrejas Autônomas: Jardim Maringá, Vale do Sol, Jardim Aeroporto, Jardim da Granja, Atibaia, Belo Horizonte, Bosque dos Eucaliptos, Jardim das Industrias, Tuiutí e Canto do Mar.

Foi por duas vezes conduzido à presidência da I.C.E.B (Igreja Cristã Evangélica do Brasil), e hoje é reconhecido como Pastor mais experiente, sendo procurado pelos colegas para aconselhamento e orientação, bem como, pela direção de igrejas, quando em processo de substituição de seus pastores.  Foi, por vários mandatos, presidente da MEAR (Mesa Executiva Regional da ICEB).

Foi um dos fundadores da hoje, Editora Cristã Evangélica; onde participou como escritor de lições. Também foi um dos fundadores do CETEVAP (Centro Teológico do Vale do Paraíba), onde atuou como professor e Presidente do Conselho Administrativo. Foi homenageado pela Câmara Municipal com a Comenda “Medalha Cassiano Ricardo”, por serviços prestados à comunidade. 

Sua dependência de Deus, e grande experiência, tem obtido vitórias em todas as áreas, desde os trabalhos com crianças até os mais idosos, sendo que sua principal vocação está na exposição da Palavra, e o fez com discernimento do Espírito.  Conduziu o “rebanho” rigorosamente dentro dos ensinos bíblicos e não permitiu que o inimigo introduzisse ou implantasse seus ardis junto ao povo.  Teve e transmitiu a visão bíblica do objetivo e comportamento da igreja como corpo de Cristo enquanto na Terra. 

Terminamos esta narrativa usando as palavras do salmista Davi, que temos certeza, tem sido a grande inspiração da vida de nosso Pastor:

Salmo 16.1-2;11 “Guarda-me, ó Deus, porque em ti me refúgio. Digo ao SENHOR: Tu és o meu Senhor; outro bem não possuo, senão a ti somente. (...) Tu me farás ver os caminhos da vida; na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.”

 

valdenberg

Valdemberg Rodrigues Viana 

(2013 – até o momento)

Há apenas quatro anos dirigindo a ICE, tendo recebido do Senhor uma grande responsabilidade de pastorear e conduzir o processo de transição, tendo em vista o tempo de pastoreio anterior acrescido da presença do seu antecessor. Esse processo, neste pequeno período tem mostrado e confirmado a mão de Deus, pela sua espiritualidade, vivência com Deus, humildade, competência e dinamismo. Pregador, visitador, administrador, tem atraído pessoas para serem salvas através de Jesus Cristo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

banner right1
banner right2